terça-feira, 31 de agosto de 2010

ATÉ UM DIA DESTES

  É muito melhor arriscar coisas grandiosas, alcançar triunfos e glórias, mesmo expondo-se à derrota, do que formar fila com os pobres de espírito que nem gozam muito nem sofrem muito, porque vivem nessa penumbra cinzenta de quem não conhece a vitória nem a derrota.
(Theodore Roosevelt)

   Foi com esse espirito que arranquei em Janeiro de 2009 com este Blog. Sem medo de poder falhar, sabendo que o mais fácil era nada fazer, dei corpo a este espaço, que durante quase dois anos, me deu alguns dissabores, mas muito, muito mais alegrias. Com o intuito de preencher um espaço que o Clube não tinha, que era a divulgação do Hóquei Juvenil do SC Tomar, penso que nesse capitulo o meu objectivo foi alcançado. Acabou por ser um ponto de encontro para todos aqueles que gostam de hóquei, em particular para a familia leonina.
Mas há alturas na vida em que temos que fazer opções, e por muito que custem, tem que se pôr a razão à frente da emoção.
Acompanhei como seccionista e colaborador cerca de 8 anos da Secção Juvenil do Sporting Tomar . Vi-a crescer, e a ganhar um espaço seu por direito próprio no panorama regional, e sinto-me bem comigo próprio, porque tive a felicidade de também dar um pouco de mim nesse processo.
Embora continuando ligado ao Hóquei em Patins, aquilo que vou fazer, não se coaduna de todo, com a minha colaboração ao SC Tomar. Vou continuar umbilicalmente ligado ao Clube Tomarense pelo facto de ter os meus filhos a jogar no Clube, nada mais que isso.
Estou convicto que dentro da estrutura do SC Tomar existe matéria humana que poderá dar continuidade a um projecto similar ao que eu fiz, até porque Hóquei em geral e o Clube em particular precisam que esta modalidade seja o mais possivel divulgada.
Este encerramento do Blog não é uma derrota, longe disso, mas um virar de uma página, que espero, e estou convicto disso, será mais um reforço da minha parte em dar um pouco mais de mim à modalidade que passei a adorar.
Quero aqui deixar um agradecimento especial a todos aqueles que tiveram a paciência de visitar este "sitio", e dizer-lhe

Até um dia destes num qualquer lugar

Carlos Emidio Matos Martins

sexta-feira, 23 de julho de 2010

terça-feira, 20 de julho de 2010

VASCO SILVA


A mais recente aquisição da Secção Juvenil do Sporting de Tomar, mostrou em poucos meses ser uma aposta ganha, por aqueles que apostaram nas suas qualidades para trabalhar no Clube.
Atleta desde muito cedo das escolas leoninas, fez o seu percurso até aos Juniores no SC Tomar, deixando a modalidade para dar seguimento aos estudos. Licenciado em Educação Fisica, seria no Stuart Carvalhais, com a supervisão de outro antigo jogador leonino, João Campelo, que voltaria à sua paixão desportiva, desta feita apostando na formação de atletas.
Fruto da sua colocação em termos profissionais em Tomar, acabaria por vir colaborar com a Secção Juvenil, primeiro como responsável pelas iniciação e posteriomente com otécnico da equipa A de escolares do Sporting. O trabalho realizado nestes escalões fizeram com que os responsáveis leoninos, o convidassem para orientar a equipa de Infantis para a época que se aproxima. Fomos saber como Vasco Silva viu o seu trabalho no Clube e o que pensa sobre o projecto leonino na formação.
- COMO FOI A EXPERIÊNCIA ESTA ÉPOCA À FRENTE DA EQUIPA “A” DE ESCOLARES?
Foi uma experiência muito gratificante para este meu início de carreira como treinador. Tendo deixado o hóquei em patins devido aos estudos, senti uma enorme satisfação em poder regressar aquele que é e será sempre o meu clube, independentemente do percurso que poderei vir a ter como treinador. Embora tenha estado algum tempo fora, senti que fui muito bem recebido. Foi um ano importante para mim por voltar a integrar-me neste grupo de pessoas e constatar que algumas coisas mudaram para melhor.
Relativamente à minha equipa de escolares, estou bastante satisfeito com o trabalho realizado ao longo do ano. Os objectivos que fomos definindo foram alcançados e notei a vontade dos meus atletas em quererem ser melhores. No futuro, acredito que vamos ter aqui jovens com um grande potencial na modalidade.
- ESTAVAS À ESPERA DE ENCONTRAR UMA REALIDADE DIFERENTE, PARA MELHOR OU PIOR, NA FORMAÇÃO DO CLUBE?
Tal como referi anteriormente a minha ausência devido aos estudos e trabalho em Lisboa, não me permitiu vir muitas vezes a Tomar nestes anos, daí não ter acompanhado muito o Hóquei em Patins em Tomar, por esse motivo sempre pensei que a realidade que ia encontrar seria muito semelhante à anterior. Contudo, após algum tempo, verifiquei que existem melhorias significativas na organização do clube. Também é de enaltecer as iniciativas que verifico, nomeadamente no que se refere à organização/participação em eventos, o que é óptimo para o clube e sobretudo para a modalidade.
- PARA ALÉM DE SERES O TÉCNICO DA EQUIPA DE ESCOLARES, ACUMULAS TAMBÉM A ÁREA DA INICIAÇÃO. A RECEPTIVIDADE DE JOVENS AO HÓQUEI É GRANDE OU NEM POR ISSO?
Não posso assegurar que esteja tudo a correr melhor que em anos anteriores. Ainda assim, acho que temos já alguns atletas que parecem ter um grande futuro como jogadores. Neste escalão entraram novas crianças no clube (cerca de dez) com idades diferenciadas que estão a dar os seus primeiros passos, alguns deles evoluíram bastante e para o ano já serão integrados no seu escalão. Não podemos esquecer que o hóquei é uma modalidade muito específica devido à patinagem, logo, exige muito trabalho desde muito cedo porque sem essa patinagem, os jogadores não têm as competências necessárias para estarem no seu devido escalão.
Com a aquisição de novo material de iniciação, nomeadamente patins, temos que pensar em melhorar a parte do recrutamento. Com estas condições materiais o clube poderá projectar a realização de eventos de divulgação da modalidade, o que irá ajudar a angariar novos jovens para o clube.
- ACHAS QUE O CLUBE ESTÁ PREPARADO EM TERMOS LOGISTICOS PARA RECEBER NOVOS AMANTES DA MODALIDADE ASSIM COMO DA CAPACIDADE MOBILIZADORA NO CLUBE PARA CATIVAR E FIDELIZAR TODOS AQUELES QUE PROCURAM ESTA MODALIDADE?
Pelo que vi nesta época acho que temos recursos humanos e materiais. A capacidade mobilizadora deste clube em cativar e fidelizar jovens atletas é por de mais evidente, tanto mais que o clube consegue fazer-se representar em todos os escalões e em alguns até com duas equipas.
- A PRÓXIMA ÉPOCA VAI SER UMA ESTREIA COMO TÉCNICO DE UMA EQUIPA DE PRÉ COMPETIÇÃO. ESTAMOS A FALAR DOS INFANTIS. É UM DESAFIO ALICIANTE PARA TI. SENTES-TE PREPARADO PARA AS INCIDÊNCIAS DE UMA REALIDADE DIFERENTE, E ONDE A COMPETIÇÃO COMEÇA CLARAMENTE A SER O FACTOR PRINCIPAL?
É claro que vai ser aliciante, é uma aposta feita em mim por parte da secção e irei dar o meu melhor para corresponder às expectativas que estão criadas para a próxima época. Conhecendo o grupo de atletas com que irei trabalhar, tenho também a difícil tarefa de dar continuidade ao trabalho que tem sido feito pelo Pedro Nobre na outra equipa, e agora juntando os atletas das equipas de Escolares “A” e “B” e ainda os infantis que não subiram, vai ser um desafio diferente e estimulante. Acredito que se todos trabalharmos como um só em busca dos objectivos definidos, iremos ultrapassar as dificuldades que forem aparecendo.
É evidente que os jogadores têm boas qualidades técnicas, agora falta “gerir o balneário” e fortalecer as relações intra-pessoais para que se reforce o espírito de equipa, a camaradagem e a cooperação, este vai ser obviamente o primeiro objectivo que defini e que será trabalhado logo na pré-época.
-- PARA TERMINAR, QUERO AGRADECER A DISPONIBILIDADE PARA O OKJUVTOMAR, E DESEJAR-TE AS MAIORES FELICIDADES PARA ESTA NOVA ETAPA DA TUA VIDA COMO TÉCNICO.
Agradeço a entrevista realizada e aproveito para lhe dar os parabéns pelo blog, porque sei que é algo que exige muito tempo investido e acima de tudo muito gosto pelo que se está a fazer. Continuação de bom trabalho.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

EQUIPAS JOVENS

BALANÇO DE ÉPOCA

Com o final da época desportiva, é altura de fazer um balanço das equipas do SC Tomar , mostrando em números a prestação das formações leoninas.
Como balanço final pode-se afirmar que o Sporting Clube de Tomar foi na formação o melhor Clube da Associação de Patinagem do Ribatejo, e se não o melhor, uma das que obteve melhores resultados a nivel Regional. É sem dúvidas um ano para recordar no que à formação leonina diz respeito.
Sem contar com jogos particulars e Torneios onde as nossas equipas estiveram envolvidas, foram 198 jogos oficiais a nivel Distrital, Regional e Nacional, o que dá uma ideia da dimensão desta Secção Juvenil no panorama nacional de Hóquei em Patins. E os numeros são elucidativos:

198 Jogos – 145 V – 15 E – 38 D - 1488 G.Marcados – 594 G.Sofridos

Para quem gosta de estatisticas podemos afirmar que a vitória sorriu em 73% das vezes que os nossos jovens atletas envergaram a camisola verde e branca, assim como, a média do resultado final por jogo foi de 7,5 golos marcados e sómente 3 golos sofridos. Excelente.
Mas de qualquer forma deixamos aqui um pouco daquilo que cada escalão fez durante a época 2009-2010:

BENJAMINS

Esta equipa orientada por Pedro Nunes, terminou a sua época de forma imaculada, ao obter como resultado menos positivo, um empate nos jogos realizados.
Mostra que a formação do Sporting continua no bom caminho, com mais uma fornada de qualidade a aparecer.
No Torneio “Convivios”Distrital , a formação de Pedro Nunes obteve 8 vitórias em tantos jogos disputados. No Torneio “Convivio” Regional de Encerramento, a equipa Leonina obteve 9 vitórias e o referido empate no grupo em que estava inserido. Pelo facto de não se apurar nenhuma equipa campeã neste escalão, ficou por confirmar a superiordade desta equipa perante as restantes formações das três associações que estiveram em competição.

TORNEIO “CONVIVIOS” DISTRITAL
8 J – 8 V – 0 E – 0 D - 62 GM – 10 GS

TORNEIO “CONVIVIOS” REGIONAL
10 J – 9 V – 1 E – 0 D – 132 GM – 11 GS

TOTAL
18 J – 17 V – 1 E – 0 D – 194 GM – 21 GS

ESCOLARES

Neste escalão o Sporting apresentou duas equipas, fruto da quantidade de atletas no Clube. Pode-se dizer que foi uma aposta ganha pois o resultado final só pode orgulhar todos aqueles que durante a época deram o seu melhor em prol das equipas em causa, com os resultados a serem melhores que o prespectivado no inicio de época.

EQUIPA “A”

Com um inicio de época algo atribulado fruto da mudança em pouco mais de dois meses de dois treinadores, seria Vasco Silva, que até então estava com a responsabilidade das escolas do Clube, que esta formação acabaria por estabilizar e com isso dar um salto qualitativo no hoquei que praticou na restante época.
Com um terceiro lugar no Torneio “Convivio” organizado pela APR, seria no Torneio Regional que a qualidade do hóquei praticado por esta equipa seria relevada, com a obtenção do 1.º lugar do seu grupo. Na final four acabariam por ficar no segundo lugar , logo atrás do HC Turquel. Época notável desta equipa que sob a orientação de Vasco Silva surpreendeu pela positiva todos os que acompanharam a sua campanha nas provas onde intervieram.

TORNEIO “CONVIVIOS” DISTRITAL
12 J – 7 V – 3 E – 2 D - 57 GM – 36 GS

TORNEIO “CONVIVIOS” REGIONAL – 3.º LUGAR
12 J – 11 V – 0 E – 1 D – 83 GM – 29 GS

FINAL FOUR – 2.º LUGAR
2 J – 1 V – 0 E – 1 D – 9 GM – 13 GS

TOTAL
26 J – 19 V – 3 E – 4 D – 149 GM – 78 GS

EQUIPA “B”

Esta formação orientada por Pedro Nobre esteve ao seu nivel, ou seja mostrou no panorama regional, ser uma das melhores senão a melhor equipa neste escalão.
Com um percurso quase imaculado, seria surpreendida na final four frente à equipa do Turquel, perdendo com estes o único encontro em toda a época em jogos oficiais. O facto de aí ter perdido a oportunidade de vencer esta prova regional não lhe tira o mérito de ser uma das melhores equipas e onde o Clube deposita as maiores esperanças na maior parte destes atletas para o futuro.

TORNEIO “CONVIVIOS” DISTRITAL – 1.º LUGAR
12 J – 11 V – 1 E – 0 D - 93 GM – 26 GS

TORNEIO “CONVIVIOS” REGIONAL
12 J – 11 V – 0 E – 1 D – 153 GM – 14 GS

FINAL FOUR – 3.º LUGAR
2 J – 1 V – 0 E – 1 D – 16 GM – 5 GS

TOTAL
26 J – 24 V – 1 E – 1 D – 262 GM – 45 GS

INFANTIS

Sob a orientação de Manuel Vitorino, esta equipa de Infantis partia para o Campeonato Regional com legitimas esperanças a conseguir um lugar no Nacional da categoria, mas o facto de ser uma formação com algumas lacunas no seio do grupo, viria a revelar-se decisivo no final da prova, não conseguindo o objectivo proposto.
Mas seria na prova regional entretanto realizada que o melhor dos seus elementos seria revelado, com a equipa leonina a presentear os sócios com jogos de elevada qualidade, e prova disso foi a presença na Final Four do Torneio Regional de Encerramento onde perderia na final com a AA Coimba, equipa que vinha do Nacional e que obtivera o titulo de Vice Campeã Regional.

CAMPEONATO REGIONAL – 7.º LUGAR
14 J – 9 V – 0 E – 5 D - 96 GM – 33 GS

TORNEIO REGIONAL ENCERRAMENTO – 2.º LUGAR
18 J – 15 V – 2 E – 1 D – 130 GM – 38 GS

TOTAL
32 J – 24 V – 2 E – 6 D – 226 GM – 71 GS

INICIADOS

Esta equipa era à partida a favorita para arrecadar o troféu do Campeonato Regional da categoria e não defraudou, vencendo o HC Turquel na Final Four em Mira, obtendo aí o passaporte para o Nacional.
Sob a orientação de Nuno Lopes a equipa de Iniciados esteve dentro daquilo que se esperava dela, conseguindo um feito até agora inédito no Clube para este escalão, que foi a presença entre as oito melhores formações Nacionais. Era esse o objectivo dos responsáveis dos Leões, com os atletas a cumprirem na integra aquilo que lhes foi pedido.
Com um percurso firme esta equipa leonina, deixou indicações muito positivas, claudicando já no final da prova nacional, fruto talvez da inesperiência da esmagadora maioria dos seus atletas em saber lidar com uma pressão a que não estavam habituados. Mas só com a presenca nestas provas é que se pode ganhar “calo” para estas andanças. Estes bravos jogadores deixaram em muitos dos jogos que realizaram um bom cartaz do hóquei que praticaram e um sinal muito positive do trabalho que se realiza no SC Tomar.

CAMPEONATO REGIONAL – 1.º LUGAR
14 J – 13 V – 0 E – 1 D - 115 GM – 34 GS

CAMPEONATO NACIONAL - 1.ª FASE
10 J – 6 V – 2 E – 2 D – 43 GM – 29 GS

CAMPEONATO NACIONAL - 2.ª FASE – 8.º LUGAR
6 J – 1 V – 0 E – 5 D – 12 GM – 25 GS

TOTAL
30 J – 20 V – 2 E – 8 D – 170 GM – 88 GS



JUVENIS

Os Juvenis que tiveram como timoneiro Fernando Vaz, conseguiram repetir a proeza de se qualificarem para o Nacional da categoria e provar que quantidade não é sinónimo de qualidade, ou seja com uma equipa muito limitada em numero de jogadores o técnico leonino soube dentro das limitações existentes no plantel levar a bom porto esta nau.
Com um inicio no Campeonato Regional a todos os niveis notavel, conseguiram durante a segunda volta da prova gerir da melhor forma os pontos amealhados e assim garantir a presence na Final Four da prova regional e por sequência a presence no Campeonato Nacional. Com um percurso algo discreto na prova rainha, acabariam por se redimir no Torneio regional de Encerramento, perdendo sómente na final com o HC Turquel, mostrando assim que o trabalho realizado pelo seu técnico durante esta época acabaria por ser premiado.

CAMPEONATO REGIONAL – 4.º LUGAR
14 J – 10 V – 0 E – 4 D - 90 GM – 61 GS

CAMPEONATO NACIONAL - 1.ª FASE
10 J – 3 V – 1 E – 6 D – 43 GM – 53 GS

TORNEIO REGIONAL ENCERRAMENTO – 2.º LUGAR
8 J –5 V – 2 E – 1 D – 53 GM – 29 GS

TOTAL
32 J – 18 V – 3 E – 11 D – 186 GM – 143 GS

JUNIORES

A equipa mais velha da formação leonina teve uma época que se pode considerar excelente, primeiro por após vários anos arredada dos Campeonatos Nacionais ter conseguido esse feito ao obter o 2.º lugar no campeonato regional logo atrás do HC Turquel que esteve na Final Four Nacional da categoria, e em segundo, por ter vencido o Torneio Regional de Encerramento, terminando da melhor forma a sua prestação esta época.
Com Jorge Godinho como responsável técnico da equipa leonina, esta seria surpreendida a meio do Campeonato Regional com a saída do técnico que foi convidado a ir treinar a equipa senior do Tigres de Almeirim. Seria Ricardo Cardoso a tomar conta da equipa, e essa alteração no comando técnico da formação leonina seria a determinada altura das provas onde a equipa estava inserida responsável pelo abaixamento do rendimento colectivo. Com processos diferentes do técnico anterior, foi necessário algum tempo até os atletas leoninos assimilarem novas metodologias de jogo. Mas passado esse periodo a equipa acabou por mostrar no campo uma qualidade que à muito não se via por estas bandas no que diz respeito aos Juniores. E prova disso foi a vitória no Torneio Regional de Encerramento com a equipa leonina a terminar a prova só com vitórias nos jogos realizados.

CAMPEONATO REGIONAL – 2.º LUGAR
16 J – 12 V – 1 E – 3 D - 179 GM – 63 GS

CAMPEONATO NACIONAL - 1.ª FASE
10 J – 3 V – 2 E – 5 D – 46 GM – 54 GS

TORNEIO REGIONAL ENCERRAMENTO – 1.º LUGAR
8 J –8 V – 0 E – 0 D – 76 GM – 31 GS

TOTAL
34 J – 23 V – 3 E – 8 D – 301 GM – 148 GS

NUNO LOPES


A treinar à 4 anos no SC Tomar, veio à duas épocas colaborar com a Secção Juvenil, para orientar a equipa de Iniciados.


Foram dois anos em que a equipa leonina disputou os respectivos Nacionais. Na época 2008-2009 como segundo classificado do Campeonato Distrital Ribatejano e esta época como Campeão Regional entre as formações de Leiria, Coimbra e Ribatejo. Com prestações convincentes, na época anterior por pouco não atingiu a segunda fase do Nacional, mas esta época pela primeira vez no Clube neste escalão de Iniciados conseguiu pôr a formação leonina, a lutar pela final four nacional.


Treinador conhecido pela sua entrega ao treino e ao jogo, competitivo, firme nas convicções, trouxe uma forma diferente na orientação do grupo. As diferenças no seu trabalho trouxeram alguns dissabores mas o grupo na maioria assimilou os ensinamentos, e prova disso foram as prestações das suas equipas tanto no panorama Regional como Nacional.





- TERMINADA UMA ÉPOCA, QUE PROVAVELMENTE LHE DEIXARÁ BOAS RECORDAÇÕES, QUAL O BALANÇO QUE FAZ DA PRESTAÇÃO DA EQUIPA DE INICIADOS?


A prestação só podia ser bastante positiva. Numa primeira fase antevíamos facilidades no campeonato distrital, sabendo que a nossa equipa tinha metade de primeiro ano, metade de segundo e um atleta novo que era o David Costa, a nossa prioridade foi encurtar diferenças no grupo, relacionamento entre atletas, adaptação de metade da equipa ao treinador e preparação para o nacional, dando minutos de jogo a todos os atletas. Na segunda fase, havia que tentar construir uma equipa com o maior número de atletas aptos a jogar sem desequilíbrios (a diferença entre os atletas era muito acentuada) para atacar o título de campeão regional (conseguido). Na terceira fase e já no campeonato nacional sul dar continuidade ao trabalho e tentar o apuramento para a final 8, já que tínhamos visto no nosso torneio que estávamos seguramente entre as melhores 8 equipas nacionais, daí que só podíamos pensar no apuramento para a segunda fase do nacional (apuramento conseguido). Quarta e última fase, testar verdadeiramente o nosso valor, ver em que patamar competitivo nós estávamos e jogar nos limites (não conseguimos o apuramento para a final 4). Por tudo isto só podemos estar todos muito satisfeitos.


- OS OBJECTIVOS A QUE PROPÔS PARA ESTA ÉPOCA FORAM TOTALMENTE ALCANÇADOS? OU FICOU ALGUMA COISA POR FAZER?


Totalmente alcançados, no entanto, considero que se podia ter feito mais, mas para isso precisava-se de mais ambição, querer mais, querer ser o melhor, treinar e jogar nos limites, não inventar obstáculos, entregar-se à luta e isto é a diferença dos melhores para os quase melhores e nós ainda estamos nos quase melhores.


- ACHA QUE ESTES ATLETAS ESTÃO JÁ PREPARADOS PARA AS EXIGÊNCIAS E A PRESSÃO QUE LHE SÃO PEDIDAS A PARTIR DE DETERMINADA ALTURA DO SEU PERCURSO COMO JOGADORES?


Estes atletas e todos os outros num escalão de iniciados já mais poderão estar preparados para as grandes exigências, eles estão numa fase de formação com mais 5/6 anos pela frente, onde aí sim é que se têm que preparar. O escalão de iniciados é o primeiro contacto com a realidade, a competição, o ganhar, o merecer jogar e para isto é preciso uma só coisa treinar muito, não é ir a todos os treinos, repito TREINAR MUITO.


- O QUE É QUE, NA SUA OPINIÃO, SE DEVERIA MELHORAR PARA QUE QUANDO OS ATLETAS FOREM CHAMADOS A DAR O SEU CONTRIBUTO À EQUIPA ESTAREM PREPARADOS A RESPONDER ÀS EXIGÊNCIAS?


A melhorar à sempre e o fundamental é todos os intervenientes serem competentes, ocuparem o seu próprio espaço. Os jogadores TREINAM para ser todos os dias melhores, os treinadores preparam-se, empenham-se na melhoria da qualidade dos treinos, na preparação mental dos atletas e acima de tudo na perspicácia e na antevisão dos problemas que possam vir a existir, os dirigentes DIRIGEM, estão atentos ao funcionamento do grupo, são exigentes, positivos e fazem cumprir a disciplina, o respeito e a educação no grupo todo. Por fim os pais, é um papel muito difícil por todos nós desempenhado e nesta matéria, cada caso é um caso, não há receitas a forma de formar os filhos de os preparar para a vida, de os alertar, de os respeitar é o papel mais complicado de fazer. Deixo uma frase: Ser pai é a coisa mais linda e exigente que nós temos na vida.


-O NUNO LOPES JÁ SE ENCONTRA EM TOMAR À 4 ANOS, DOIS DOS QUAIS A ORIENTAR OS INICIADOS, E COMO TAL TEM UMA OPINIÃO FORMADA SOBRE A FORMAÇÃO LEONINA. COMPARATIVAMENTE A OUTROS CLUBES COMO A CLASSIFICA?


A formação no Tomar têm vindo a ganhar consistência, é sem dúvida a par do Turquel o clube que se vai preparando melhor, não faz mais que a sua obrigação, visto ser o clube mais representativo e conceituado no Ribatejo. Na minha opinião aquilo que se têm que evoluir rapidamente (já o disse a quem de direito) é uma linha de pensamento uniforme, uma estratégia de 4 anos definida e ajustada ano após ano conforme as necessidades, mas que as pessoas de cima sejam firmes nas decisões, abertas ao diálogo, mas não a pressões, sejam exigentes, mas não utópicos, sejam coerentes, sejam presentes e uma coisa muito importante e muito difícil, NÃO COMPLICAR (de maneira nenhuma pretendo aqui criticar o que está a ser feito ou alguém em concreto). Quanto aos outros clubes penso que se têm evoluído bastante no Ribatejo, em Leiria as coisas estão a regredir, mas seria deselegante da minha parte meter-me ou opinar de forma leviana sobre clubes que não conheço, porque já tanta gente a dizer o que não sabe, o que não deve e o que não devia de dizer, que eu seria mais um igual a tantos outros.


-O QUE É QUE AINDA FALTA FAZER PARA SE PODER ATINGIR UM PATAMAR MAIS ALTO DENTRO DA REALIDADE NACIONAL NESTA MODALIDADE?


Acho que se têm evoluído muito nos últimos 10 anos, só que a herança que nos deixaram é muito pesada, conquistada noutros tempos e em que a sociedade era composta e organizada de forma diferente, hoje tudo está mais rápido, competitivo, exigente e com muita crise de valores. Aquilo que é preciso e falta muito na nossa sociedade, são pessoas competentes, sérias, responsáveis, coerentes e que se traduz numa só palavra CARÁCTER (sei que é um comentário vago, mas as coisas vivem de práticas e neste caso, cada um faça a sua bem e sem olhar para a do outro)


- PARA TERMINAR, QUERO AGRADECER A DISPONIBILIDADE PARA O OKJUVTOMAR, E DESEJAR-LHE AS MAIORES FELICIDADES PARA A PRÓXIMA ÉPOCA, QUE É DEVERAS UM DESAFIO MUITO GRANDE.


Muito obrigado da minha parte. Quanto á próxima época, é um desafio que nós podermos e quisermos, se é muito grande ou muito pequeno depende da nossa capacidade e do nosso querer, da parte que me toca, eu não tenho a mínima dúvida da competência, seriedade para as exercer as minhas funções.


Nota: Não vou responder a comentários anónimos, nem entrar em pormenores individuais, quem quiser, sabe ou pergunte o meu número de telefone e terei todo o prazer em trocar dois dedos de conversa.


Boas férias para todos (para os que dizem mal de tudo e para os que dizem bem de tudo, pois é com todos que nós ficamos melhor preparados)

terça-feira, 6 de julho de 2010

PEDRO NUNES

Embora jovem é o treinador da Secção Juvenil com mais anos de casa, aproximadamente 10, e por ele já passaram muitos dos atletas que evoluem nas equipas leoninas.

Formado como jogador nas escolas do Sporting de Tomar fez todo o seu percurso aí, chegando até à equipa Sénior leonina. Por motivos pessoais sairia , mas acabaria por regressar sendo então um dos esteios da formação Tomarense. Ainda jogou em Ourém e Santa Cita, onde terminou a sua carreira hoquistica.

Mas nestes anos manteve-se sempre ligado à formação do Clube. Desde 2002 até 2007 formou um grupo, hoje já Iniciados que deram muitas alegrias ao Clubes vencendo em praticamente todos os anos as provas distritais. Voltou às origens, orientando uma nova fornada de atletas que começam já a dar cartas no panorama regional. Fomos saber a sua opinião sobre a época que agora termina, e os projectos para o futuro.

- TERMINADA A ÉPOCA DESPORTIVA, QUAL O BALANÇO QUE PODES FAZER DO PERCURSO DESTA EQUIPA DE BENJAMINS?

Faço um balanço positivo. A equipa, apesar de serem benjamins, fez uma evolução muito significativa. Nos primeiros meses cada um jogava para si e actualmente, já se conseguem, por vezes, bons momentos de hóquei e é isso que me dá mais satisfação, ver o desenvolvimento e o crescimento tanto individual como colectivo. Mas esta evolução só acontece com muita disciplina e trabalho, tal não é possível sem estas condições. Nestas idades, o mais difícil é incutir-lhes a noção do colectivo, incutir o respeito pelos colegas, treinador e pelo treino, eles só se interessam pelo golo, porque quando chegam a casa depois do jogo, o que lhes perguntam é quantos golos marcaram e não se jogaram bem. A nível técnico, esta fase é fundamental para desenvolver a técnica de patinagem e de stick, bem como começar a inserir alguns princípios de jogo.

- ESTA ÉPOCA HOUVE A JUNÇÃO DOS CLUBES RIBATEJANOS ÀS ASSOCIAÇÕES DE COIMBRA E LEIRIA.COMO VÊS O TRABALHO QUE ESTÁ A SER FEITO NOS CLUBES DAS OUTRA ASSOCIAÇÕES?

É sempre positivo quando temos mais equipas para competir e não temos que estar sempre a jogar com as mesmas, neste caso Entroncamento, Santa Cita, Ourém e Santarém. No entanto, este ano o nosso grupo do Regional apenas teve duas equipas que normalmente não estão no nosso distrital (Marinhense e Turquel). Na minha opinião, o Regional devia ser realizado na forma de campeonato e não de grupos, permitindo que nos cruzássemos com outras equipas de Distritais diferentes. Por outro lado, a presença de árbitros oficiais é fundamental, pois nestas idades é muito importante apostar na pedagogia ao nível do conhecimento das regras de jogo. Actualmente o árbitro é da responsabilidade do clube visitado pelo que, qualquer pessoa pode assumir essa tarefa, muitas vezes sem conseguir cumprir este objectivo.

MESMO COM EQUIPAS DE 3 ASSOCIAÇÕES, A EQUIPA LEONINA QUASE NÃO TEVE OPOSIÇÃO NESTE ESCALÃO. TENS ALGUMA IDEIA DO PORQUÊ?

Acho que é o reflexo da forma como o clube trabalha na formação, conseguimos ganhar os convívios distritais, os torneios em que participámos e ainda ganhámos o nosso grupo do regional. Só permitimos um empate em todos os jogos oficiais e perdemos um jogo no Torneio de Tomar. Nós temos algumas vantagens em relação a outras equipas, temos muitos atletas nas Escolas, logo permite-nos ter mais escolha e assim maior qualidade, depois só temos que a aproveitar e trabalhar. Temos toda uma estrutura organizativa que não permite que falte nada aos atletas e treinadores. Tive toda a época pelo menos dois seccionistas (sr. Carlos e António) no treino, que tratam dos filhos de todos, do material necessário ao treino, águas, lanches para os jogos, dão a conhecer a convocatória aos pais, entre muitas outras tarefas. Também o Coordenador Minito nos apoia tratando da organização dos jogos e dos treinos. Eu só me preocupo em pensar o treino e executá-lo, os atletas só têm que treinar.

- PEDRO, HÁ ALGUNS ANOS APRESENTASTE UM PROJECTO COM O FITO DE LEVAR UMA EQUIPA DOS BENJAMINS ATÉ JUNIORES. ESSE PERCURSO FOI INTERROMPIDO A MEIO. HOUVE MOTIVOS FORTES PARA ESSA INTERRUPÇÃO, OU FOI A VONTADE DE VOLTAR ÀS ORIGENS?

Essa equipa é o meu orgulho, porque foi um trabalho de sete anos, que iniciei elaborando um projecto com o objectivo de permitir ao Sporting de Tomar voltar a ter equipas campeãs distritais, na altura estávamos a passar uma crise nesse capítulo. No segundo ano de trabalho fomos campeões distritais, e daí para a frente poucos perdemos. Aliás este grupo que agora está na fase final do nacional nunca perdeu um distrital. Ainda tenho esperança de ver um deles nas selecções jovens ou na selecção feminina. O projecto foi interrompido porque na altura todos iam subir a iniciados e encontrar a outra parte da equipa na qual estava o meu irmão. Achei que para ser justo para todos era melhor interromper esse projecto, pois eu não queria que a minha imparcialidade fosse posta em causa.

- CERCA DE 10 ANOS DE PERCURSO COMO TÉCNICO, DENTRO DO QUADRO DE TREINADORES DA SECÇÃO JUVENIL LEONINA, ÉS JÁ O DECANO DO GRUPO. MUITOS DOS JOGADORES QUE ESTÃO A EVOLUIR NO CLUBE COMEÇARAM NAS TUAS MÃOS. ACHAS QUE O TRABALHO EFECTUADO ESTÁ A SER DEVIDAMENTE APROVEITADO?

Todos os atletas com que eu lidei foram e são “avisados” desde cedo que, à medida que vão passando de escalão, a exigência é cada vez maior e só alguns chegam lá acima. Muitas vezes eles olham para mim e eu percebo que eles não estão a acreditar no que lhes digo, só quando começam a passar mais tempo no banco a ver os colegas a jogar é que percebem que tenho razão. É uma selecção que tem que ser feita, muitas vezes dolorosa, mas nem todos podem chegar a seniores. Actualmente o único atleta sénior formado no Sporting de Tomar é o Costa. É pouco, mas acredito que daqui para a frente a qualidade dos atletas vai aumentar e consequentemente também o número de atletas seniores que se formaram no clube.

- ESTA EXPERIÊNCIA PERMITE-TE AVALIAR O QUE DE BOM E DE MENOS BOM TEM SIDO FEITO NO CLUBE. QUERES DAR UMA OPINIÃO PESSOAL SOBRE ESTE PONTO?

Acho que no futuro o Sporting de Tomar deve tentar aproveitar um número maior de atletas formados no clube, a exemplo do Turquel, porque a qualidade irá aumentar e assim maximizar o investimento feito na formação dos mesmos. Já há alguns anos que os jogadores que chegam a seniores são reforços de clubes da zona que aproveitam todo o investimento que o Sporting de Tomar teve nesses mesmos atletas. De positivo, termos subido de divisão, já que permite aos nossos atletas assistirem ao melhor hóquei nacional. Também, como já tinha salientado antes toda a estrutura organizativa da Secção Juvenil do Sporting de Tomar que deve continuar a funcionar como até aqui, permitindo cada vez mais que a qualidade das suas equipas seja melhor.

- PARA TERMINAR, QUERO AGRADECER A DISPONIBILIDADE PARA O OKJUVTOMAR, E DESEJAR-TE AS MAIORES FELICIDADES PARA A PRÓXIMA ÉPOCA.

Obrigado, desejo-te também que continues o Bom Trabalho de divulgação do hóquei patins.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

IV TORNEIO 3X3

A Secção Juvenil do Spoting de Tomar levao a efeito mais um Torneio 3x3, que começa a seruma referência no panorama regional nesta variante de hóquei. Com 25 equipas nos três escalões que estiveram em acção, provou-se que esta variante está cada vez mais a aliciar os atletas desta modalidade.
Foram dois dias onde a diversão o espirito de amizade e camaradagem estieram em alta no Pavilhão Jácome Ratton. Assitiram-se a jogos de elevado nivel, assim com a situações onde a descontração e a brincadeira falaram mais alto que o resultado final. Aliás é precisamente isso que leva muitos destes jogadores a participar nestes Torneios.
Uma palavra de apreço pela disponibilidade de um grupo de mães que estiveram durante os dois dias a colaborar com os responsáveis do Torneio,  na venda de sandes e sumos, ajudando assim a que o sucesso deste torneio fosse ainda maior.
Para a história deste IV Torneio ficam os vencedores dos escalões que evoluiram no rectangulo de jogo.
Já que estou em maré de agradecimentos, quero tambem deixar uma palavra de agradecimento a Jorge Ramos do Jornal "Cidade de Tomar" que disponibilizou as fotos para este artigo
No escalão dos mais velhos, a equipa que venceu a prova foram os "Zero" composto por dois veteranos destas andanças, Jorge Godinho e Nuno Domingues, que contaram com a preciosa ajuda de João Mendes e Ivo Ribeiro. Os vencidos da final, a equipa "os" composta por Ivo Silva, Filipe Almeida, Tiago Barros e Daniel Leal, embora tendo as melhores oprtunidades de golo, não conseguiram evitar que a experiencia daqueles dois veteranos destas guerras, levassem a melhor. o resultado final deste jogo foi 2-0.
No jogo de apuramento do 3.º e 4.º lugares, seria a equipa "JC Infante" de Eurico Simões, Favinha, Helder e o veterano Helder Santos a levar de vencida as formação de " Os Tubarões" de Rui Alves, David Vieira e Noronha por 6-3.
No Escalão de Ifantis / Iniciados foi a formação "Pataniscas" a ser a levar o caneco, e embora tenha obtido os mesmos pontos dos "Zero" a diferença de um golo no final fez a diferença na tabela classificativa.
Nos mais novos os vencedores foram os "Mau-Maus" que não tiveram dificuldades de levar de vencida os seus opositores.











































GALA DESPORTIVA


A Secção Juvenil do SC Tomar levou mais uma vez a efeito a sua Gala Desportiva, desta vez mais simples, mas não menos simbólica, realizando o evento no palco que estava colocado no recinto da festival do frango.
Estando planeado para realizado na nova sede do Sporting de Tomar, acabou por se fazer noutro sitio, fruto do atraso na construção da sede. Se nada de anormal acontecer a próxima gala será no espaço nobre do Clube, e aí sim a simbologia deste evento estará no lugar certo.
Foram distinguidos os atletas com tiveram maior assiduidade aos treinos assim como aqueles que se distinguiram na sua vida escolar.
Ainda foram distinguidos pela secção juvenil do Clube, Mariana Jesus que fruto da sua idade não poderá continuar a representar as equipas masculinas do Sporting. Irá estar ligada ao Clube mas na equipa feminina. Ivo Silva também levou uma recordação da secção pelo facto de abandonar a equipa Junior fruto da sua subida ao escalão Sénior, e os responsáveis leoninosnão quiseram deixar passar este momento agraciando-o com uma placa, como contributo pela sua passagem na equipa Junior leonina.
Os 4 atletas que representaram a Selecção Distrital da AP Ribatejo, David Costa, Edgar Costa, Mariana Jesus e Pedro Martins também receberam da mão dos responsáveis do Sporting de Tomar, uma lembrança pelo facto de se terem distinguido  em representação do Clube no Torneio Inter Regiões.






III FESTIVAL DO FRANGO

Decorreu entre a passada 6.ª Feira e Domingo o III Festival do Frango junto ao pavilhão Jácome Ratton, onde a gastronomia e a diversão foram reis.
Na 6.ª feira, pela noite estiveram em palco os One Vision-Tributo aos Queen, que reviveram durante duas horas os maiores exitos da banda inglesa.No Sábado o espéctaculo foi abrilhantado pelos FH5 que este ano celebram os 35 anos de existência, tendo estado em palco alguns dos antigos músicos da banda.No Domingo a presença de Quinzinho de Portugal foi o momento alto da festa com este entretainer a distribuir boa disposição aos muitos espectadores presentes na festa.
Numa festa que começa a ficar no roteiro das festas do Concelho, o SC Tomar através da secção juvenil mostrou o excelente trabalho que está a realizar, sempre com o intuito de elevar a qualidade do trabalho que se realiza na formação leonina.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

IV TORNEIO 3X3

 
Terá inicio na manhã do próximo Sábado a 4.ª Edição do Torneio 3x3 realizado pela secção juvenil do SC Tomar. 
Com 25 equipas inscritas para participar neste Evento, esperamos que impere o desportivismo e acima de tudo todos possam desfrutar desta variante de hóquei que cada vez mais é uma certeza.
Fica aqui o calendário dos jogos assim como a composição dos grupos dos três escalões.